Você está aqui: Página Inicial / Projetos de Pesquisa por Linhas / Linha 2 - Organização e Representação do Conhecimento

Linha 2 - Organização e Representação do Conhecimento

Representação da informação e formalismos na Web Semântica: da Arquitetura da Informação às Ontologias na interconexão de Museus, Bibliotecas e Instituições de Arquivo
Cláudio José Silva Ribeiro
Os temas explosão informacional e a avalanche de dados têm trazido reflexos nas discussões e debates sobre a gestão da informação na atualidade. Estes reflexos decorrem não apenas pela variedade de informações que são incorporadas diariamente, mas também pelo alto volume de dados que podem ser coletados e publicados de forma imediata. Com a proposta da Web Semântica, formulada por Tim Bernes-Lee há dez anos, surgiram algumas alternativas para representação e para efetuar correlações entre as informações na Web. Estas alternativas tornam disponíveis um quantitativo cada vez maior de dados e informação, incrementando a capacidade de criar novos conhecimentos a partir das conexões efetuadas. O patrimônio digital e os demais ativos de informação sobre a cultura estão começando a fazer parte desta coleção, pois bibliotecas e museus estão publicando seus objetos e unidades documentais na Web, trazendo outros desafios para o profissional da Ciência da Informação. Este projeto discute o uso de vocabulários e formalismos, pois estes possuem um papel essencial no processo de representação, permitindo desenvolver estas representações tanto no nível das ideias quanto no nível da sintaxe. Fazendo uso de uma combinação de métodos para desenvolvimento da investigação, apresenta ciclos para a estruturação de ligações explorando os vocabulários e formalismos identificados. Propõe a consolidação dos resultados em um conjunto de orientações para Museus, Bibliotecas e Instituições de Arquivo disseminaram seu conteúdo utilizando a Web Semântica.

A informação científica na mídia: a memória de um discurso identitário
Evelyn Goyannes Dill Orrico
Estudo das práticas discursivas produzidas no âmbito da ciência na sua relação com a sociedade, admitindo que as comunicações se fazem via linguagem imagética, textual, sonora ou corporal e que a representação do mundo é formulada por intermédio de discurso socialmente construído. A escolha do tema deve-se ao importante papel social que tanto a produção quanto a divulgação da produção científica exercem na sociedade, principalmente quando sustentam os argumentos utilizados pelos movimentos sociais. Os pressupostos do projeto admitem a informação como resultado de uma relação harmoniosa entre as mudanças no repertório cognitivo dos indivíduos e a produção de novos conhecimentos, assim como assumem que as práticas discursivas relacionadas à produção e à divulgação científica estão condicionadas às injunções institucionais das quais são oriundas e no interior das quais são produzidas. Além disso, acolhem o papel preponderante que tais práticas desempenham na sociedade, ajudando a construir o universo simbólico da população e sua identidade. O objetivo maior deste projeto é traçar um espectro abrangente das práticas discursivo-informacionais voltadas para a produção e difusão da ciência no Brasil, bem como algumas de suas repercussões nos movimentos sociais, conforme são divulgadas pelas mídias. Por intermédio do ferramental teórico-metodológico da Análise do Discurso, preferencialmente documental, procura-se compreender as redes de sentido que norteiam a relação entre ciência e sociedade.

 

Entre informar, reter e conhecer: um estudo teórico-metodológico sobre documentos sensíveis
Icléia Thiesen
A pesquisa tem por objetivo geral caracterizar e analisar documentos "sensíveis" produzidos por instituições do Estado durante o regime militar (1964-1985), seus atributos, suas contradições e lacunas, mas especialmente as implicações que representam quando manuseados como fontes de informação para pesquisas. Trata-se de um estudo de caso que pode contribuir para elucidar aspectos relevantes da teoria e à organização da informação. É de interesse, ainda, enquanto objetivo específico, analisar o circuito informacional nos processos de produção, circulação e apropriação da informação por setores da sociedade, assim como as instituições que integraram o regime e produziram informações sobre ele. Conhecer esse circuito significa compreender o funcionamento das instituições que formaram a base de sustentação do regime e, por via de consequência, elucidar a caracterização dos documentos produzidos nas respectivas atividades.

Modelo de política de curadoria de dados de pesquisa para o país
Luis Fernando Sayão
A atividade de pesquisa científica, no contexto da eScience, produz e utiliza uma quantidade extraordinária de dados de pesquisa. Com a proliferação dos dados, se destaca a preocupação de como essas coleções de dados podem ser preservados para uso e reuso no futuro. O desafio da curadoria digital de dados científicos está na necessidade de preservar não somente a coleção de dados, mas também a sua capacidade de transmitir conhecimento para usuários futuros, permitindo-os reanalisar os dados em novos contextos. A gestão de dados de pesquisa é considerada essencial para condução da pesquisa científica no século XXI, mas os dados só podem ser gerenciados e preservados ao longo do tempo e do espaço por meio de compromissos institucionais sustentáveis. O projeto tem como objetivo principal apresentar uma análise multifacetada dos elementos necessários para a definição de um modelo de curadoria digital para o país que considere os aspectos políticos, infraestrutura organizacional e tecnológica, pesquisa em curadoria digital, desenvolvimento de coleções de dados de pesquisa, formação de especialistas, sustentabilidade econômica, implicações sociais, éticas e legais e oferecimento de serviços. Será tomado como principal recurso metodológico o exame dos relatórios nacionais, regionais e internacionais sobre políticas de gestão de dados de pesquisa; desse universo, três relatórios foram considerados fundamentais no endereçamento de questões de curadoria de dados de pesquisa: os relatórios da National Science Fundation (NFS), do Digital Data Curation (DDC) e da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Informação para apoio a inovação: rumo a universidade empreendedora
Maria Simone Menezes de Alencar
Das atividades de ensino, objeto principal da Universidade em sua origem, às atividades de pesquisa – foco dos últimos séculos – há hoje uma tendência nacional e internacional de transição para a chamada Universidade Empreendedora. Nesse modelo, a interação entre múltiplos atores das universidades, empresas, governos e da sociedade civil é a chave para fomentar a inovação na sociedade baseada no conhecimento. Esse projeto visa desenvolver estudos em vista de produzir subsídios sobre os melhores rumos de pesquisa e desenvolvimento, visando inovações sociais e tecnológicas e apoio ao empreendedorismo. Além das tradicionais fontes de informação como artigos científicos, patentes, anais de eventos, a Ciência Aberta apresenta um conjunto de dados que podem ser um manancial de pontos de acesso para estímulo a criatividade visando a inovação não apenas tecnológica, mas também social. Temas como inovação aberta, ciência aberta, universidade empreendedora e suas inter-relações também são focos de investigação. Além de estudos qualitativos, as pesquisas utilizarão técnicas baseadas em Estudos Métricos da Informação, em diferentes suportes.

A organização do conhecimento em ambientes virtuais: as relações arborescentes e rizomáticas no tratamento e na recuperação da informação nas ciências
Marcos Luiz Cavalcanti de Miranda
Esta pesquisa se configura nos diferentes ambientes da informação: o material e o virtual. Aborda questões inerentes ao processamento, à representação, ao tratamento, à busca e à recuperação da informação. Fundamenta-se nas teorias da organização do conhecimento e evidencia a epistemologia de práticas científicas selecionadas, assinalando sua complexidade e seus aspectos interdisciplinares, assim como os paradigmas que a norteiam. Parte-se de algumas questões: como representar o conhecimento que não está organizado em estruturas arborescentes e sim de forma rizomática? Será possível estabelecer links que permitam a busca de informação em áreas que são por excelência inter, trans ou multidisciplinares? Até que ponto os metadados seriam úteis para resolver estas questões? Como lidar com as barreiras estabelecidas pelo caráter virtual da informação, ora disponível, ora "perdida"? Quais as condições de probabilidade de recuperação da informação na Web? O objetivo proposto envolve verificar as relações conceituais configuradas na representação e recuperação da informação na Web com o uso de linguagem natural e de sistemas de organização do conhecimento. No primeiro momento serão utilizados os periódicos de referência das áreas de Biblioteconomia, Educação, Museologia, Neurologia e Paleontologia, para verificar a topografia do conhecimento nessas disciplinas. Em seguida será elaborado um estudo epistemológico, analisando a produção do conhecimento dessas ciências. espera-se que os resultados contribuam para reconfigurar a organização do conhecimento na Web e propor melhorias para a busca e a recuperação da informação em ambientes virtuais.

A representação do conhecimento em religiões de matrizes africanas nos sistemas de organização do conhecimento: a organização do etnoconhecimento para a preservação do patrimônio intangível
Marcos Luiz Cavalcanti de Miranda
Este estudo resulta de uma discussão que surgiu no momento do tratamento da informação de documentos acerca de culturas indígenas e negras no Projeto ProEtno da Unirio. A questão levantada naquele momento envolvia como representar o conhecimento registrado de e sobre indígenas e quilombolas, considerando que os instrumentos de representação e organização do conhecimento existentes não davam conta da indexação desses documentos. Após visita a algumas bibliotecas e centros de informação e documentação localizados no Estado do Rio de Janeiro, elaborou-se o presente projeto de pesquisa para analisar o etnoconhecimento e sua representação em sistemas de organização do conhecimento, de forma a contribuir para a preservação do patrimônio intangível. O objetivo geral da pesquisa é fornecer subsídios para a reformulação dos sistemas tradicionais de organização do conhecimento de forma a contemplar plenamente a representação do conhecimento e a preservação do patrimônio intangível das religiões de matrizes africanas. Os objetivos específicos traçados envolvem: (a) analisar a representação do conhecimento afrodescendente em sistemas de organização do conhecimento; (b) possibilitar novas formas de representar os saberes milenares das culturas afrodescendentes; (c) contribuir para a preservação do patrimônio intangível; (d) estimular a criação de um fórum permanente congregando os atores do processo de construção de sistemas de organização do conhecimento; (e) identificar preconceitos e discriminações nos sistemas de organização do conhecimento. Para alcançar os objetivos propostos nesta pesquisa a metodologia adotada envolverá a análise documental crítica dos sistemas de organização do conhecimento alfabéticos, alfabetico-sistemáticos e bibliográficos relativos às classes e categorias de assuntos que em algum aspecto representem o conhecimento afrodescendente

Comunidade de prática, organização do conhecimento e inovação
Miriam Gontijo de Moraes
Operacionalização do conceito de Comunidade de Prática no contexto de uma abordagem social da produção do conhecimento visando compor a metodologia de análise de domínio para a Organização e Representação do Conhecimento. Traz elementos para a reflexão sobre formas de operacionalização da análise de domínio, buscando um referencial no estudo sobre o Atlas de la Ciencia da Universidad de Granada e no debate apontado por Barité e Fernández-Molina na defesa da estratégia bottom-up de construção de uma estrutura conceitual, que opta pela análise indutiva dos termos usados na comunicação e prática cotidiana de uma comunidade, evitando o enfoque top down que privilegia a disciplinaridade e a nacionalidade como fatores limitadores na representação do conhecimento interdisciplinar. Apresenta o perfil descritivo das comunidades de prática da Rede de Laboratórios da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, com a identificação de 123 unidades e a representação do repertório da produção de 17% destas, que forneceram características para uma análise qualitativa.

A representação descritiva no Brasil: seu caminho até o contexto atual
Naira Christofoletti da Silveira
Na sociedade pós-moderna, o conhecimento passa a ser um atributo muito valorizado e, consequentemente, a informação, que constitui o subsídio para a produção de novos conhecimentos, torna-se igualmente valorizada. A informação nesta sociedade também é produzida em larga escala, com muita ambiguidade e redundância. Organizá-la torna-se um desafio e uma necessidade. Neste contexto encontra-se a organização do conhecimento. Dentre os processos de organização e tratamento de documentos, a representação da informação - constituída pela Representação Temática e pela Descritiva, que no Brasil também é denominada como Catalogação - teria duas grandes funções: organizar e representar os documentos produzidos pela sociedade para permitir o acesso ao conhecimento por qualquer indivíduo. Trata-se de um processo de mediação contínuo, vai se adaptando às mudanças da sociedade. Este projeto tem como objetivo geral discutir a Representação Descritiva no Brasil, relacionando seu desenvolvimento com as questões sociais brasileiras. Trata-se de uma pesquisa exploratória e descritiva. Como resultados esperados propõe-se o fortalecimento da área e o aumento de publicações em periódicos e eventos científicos sobre a temática.

A ciência aberta: a participação brasileira nas nuvens da Ciência Aberta Europeia
Patrícia Corrêa Henning
Aborda as possibilidades para a pesquisa científica no Brasil, a partir do contexto da ciência aberta Europeia. O movimento da ciência aberta visa disponibilização para acesso e livre reutilização dos conhecimentos e dados de pesquisas, sem restrições legais, tecnológicas e sociais, em um ciclo transparente, voltado para a colaboração. Esta disponibilização precisa, entretanto, lidar com as questões da propriedade de quem os gerou e das restrições tecnológicas para acesso e reutilização. Esta pesquisa parte de três iniciativas europeias de excelência, no âmbito mundial da Ciência Aberta, na busca de subsídios para possíveis parcerias com o Brasil: o projeto “European Open Science Cloud (EOSC)”, “Guidelines on FAIR Data Management in Horizon 2020“ e o “Nacional Plan Open Science”. O EOSC é uma iniciativa aberta à interoperar dados e serviços com todas as instituições que seguirem as diretrizes, normas e padrões estabelecidos pela FAIR (findable, accessible, interoperable and reusable). O Nacional Plan Open Science é o plano dos Países Baixos, alinhado às iniciativas europeias. O Dutch Techcentre for Life Sciences (DTLS) é a instituição parceira que fará o link da inserção brasileira no universo das nuvens de dados abertos europeus. Além de liderar o grupo "GO FAIR", movimento que segue as diretrizes do "European Open Science Cloud", que tem como um de seus objetivos disseminar as diretrizes FAIR em diversos países do mundo, inclusive no Brasil. Eles estão envolvidos com as principais instituições holandesas, que fazem parte do Nacional Plan Open Science. Esta pesquisa visa elaborar um guia com as etapas e ações necessárias para o gerencimento aos dados abertos de pesquisa, desde a sua concepção à sua disponibilização, alinhado às iniciativas e diretrizes europeias, em parcerias com o DTLS, o Centro de Integração de Dados e Conhecimento em Saúde (Cidacs), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e com o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT).

Rastros memoriais na web: questões teóricas sobre o ciclo de vida dos objetos digitais
Vera Doyle de Mattos Dodebei
Estuda-se o fenômeno da informação-memória na web, com ênfase nos efeitos ecológicos da circulação de narrativas que são produtos da dinâmica de trocas no meio ambiente. A representação metafórica do 'Ciclo de Vida’ é aplicada aos objetos digitais, considerando textos, imagens e sons, em seus estágios processuais: produção, seleção, organização, assimilação/ dissolução e possibilidade de (re)uso. Os excessos de memória e seus vestígios também serão examinados em bancos de dados digitais. Arqueologia e reciclagem como método e ação, respectivamente, na descoberta e na transformação dos vestígios memoriais serão considerados como possibilidades metodológicas. A proposta, de natureza teórico-conceitual-metodológica, é investigar a existência de vestígios e rastros memoriais em plataformas digitais e, sobretudo, de revisitar conceitos, metodologias e operadores teóricos que foram construídos para representar o ciclo de vida da informação e do conhecimento no século XX, período em que se intensificaram os estudos e a produção sobre bases de dados bibliográficos e avaliação de sistemas eletrônicos de informação. O equilíbrio entre a produção/aquisição e a demanda de informações foi, durante muitos anos, uma preocupação da Ciência da Informação e, em particular, das bibliotecas que regulavam seus estoques utilizando-se da ação do descarte ou desbastamento de suas coleções. O cerne da questão estava, certamente, na ideia da acumulação que cada instituição produzia, em função de seus objetivos, principalmente considerando-se o público usuário desses estoques. A descaracterização do público (potencialidade total) ocasionada pela digitalização das coleções e sua disponibilização na internet rompeu com o controle do equilíbrio entre oferta e demanda de informações e transferiu para uma outra instância, o ciberespaço, o problema da gestão dos bancos de dados. A representação gráfica dos conceitos e das relações que conformam esse novo campo de estudos será construída, o que se espera possa permitir a visualização de indícios de ‘persistência aurática’ ou de reciclagem para os objetos digitais.