Portal UnirioGuia Telefônico Contatos
Você está aqui: Página Inicial / Colóquio 2018

Colóquio 2018

CRONOGRAMA DAS APRESENTAÇÕES DO

IV COLÓQUIO PROEMUS. Turma 2017.

11 de junho de 2018.

Sala de Audio-Visual do CLA;

Sala 401 do Prédio do Teatro.

 

 

 

  9:00 – Eliara Puggina Pelosi

  9:15 – Ana Maria Ramos de Oliveira

  9:30 – Ivan Scheinvar Tavare

  9:45 – Thiago Josis Vieira Ramos

10:00 – André Ricardo Amaral

 

10:15 | 10:30 – Intervalo

 

10:30 – Charles William Vieira Vianna

10:45 – Fábio Pestana Calazans

11:00 – Sarah Cristina Costa Pereira

11:15 – Jayaram Marcio Costa Custódio

11:30 – Felipe César Ferreira Moreira

 

11:30 | 11:45 – Intervalo

 

11:45 – Luis Mauricio de Souza Carneiro

12:00 – Raquel Pereira Motta da Paixão

12:15 – Clarice Fernandes Magalhães

12:30 – Welsten Wesklei da Cunha Leopoldino

12:45 – Marcos Bueno de Godoy

 

 

 

Eliara Puggina Pelosi (APRESENTAÇÃO DO ARTIGO/PRODUTO)

Orientadora: Dra. Mary Carolyn McDavit

 

Título do Colóquio: 25 canções de Francisco Mignone.

 

Resumo do artigo:

O ecletismo e o mignonismo pianístico nas canções de Francisco Mignone

O presente artigo é parte de projeto de mestrado ainda em andamento, e tem por finalidade abordar a parte de acompanhamento do piano ndas canções de Francisco Mignone e os códigos técnicos pianísticos – mignonismos – que são as marcas identificadoras na obra para piano deste compositor. O objetivo é identificá-los e analisar suas utilizações recorrentes, e também reconhecer suas funções tímbricas, rítmicas e técnicas, além de propor diretrizes que orientem sua interpretação. A estrutura da pesquisa é tripartida, sendo a primeira seção uma descrição da trajetória pianística do compositor, contendo depoimentos de profissionais e amigos sobre sua virtuosidade; a segunda aborda o ecletismo do compositor e as canções; a terceira trata do mignonismo seu reconhecimento, sua utilização e aplicação nas canções. A fundamentação para as abordagens técnicas e interpretativas é a literatura específica, a qual compreende livros biográficos com textos de Kiefer (1983) e Mariz (2007), artigos, teses e dissertações sobre análise musical e pianística de Andrade (1984), Martins (1990) e Oliveira (2005); como também a transmissão oral ocorrida no convívio profissional da pesquisadora com Glória Queiroz, aluna do Maestro Francisco Mignone.

Público Alvo: Pianistas de nível técnico a superior que exerçam função de colaboradores e possuam interesse na obra de câmara para canto de Francisco Mignone.

 

Resumo do produto:

25 CANÇÕES DE FRANCISCO MIGNONE: Álbum de canções com gravação de acompanhamento ao piano em CD

O pré-projeto objetiva a produção do álbum de canções com CD de acompanhamento ao piano de obras do maestro e compositor Francisco Mignone. A seleção de canções compreende apenas peças em manuscrito e sem publicação, enfatizando o ecletismo de sua obra vocal, decorrente das influências musicais recebidas pelo maestro. Nas páginas de rosto, o cantor e o pianista encontrarão informações básicas para uma interpretação expressiva e

estilística da canção. O poema está impresso e acima de cada palavra, a pronúncia está indicada por meio dos símbolos do alfabeto fonético internacional (International Phonetic Alphabet – IPA) Nesse sentido, a realização do projeto busca facilitar acesso por estudantes,professores e demais profissionais nas áreas de Canto e Piano, propiciando maior divulgação e exibição em universidades e salas de concerto.

 

PALAVRAS-CHAVE: Francisco Mignone; Canto e Piano; Acompanhamento ao piano.

 

Ana Maria Ramos de Oliveira (APRESENTAÇÃO DO ARTIGO)

Orientadora: Mariana Isdebski Salles

 

Título do Colóquio: “Introdução às Técnicas Expandidas de Violino - Técnicas de Arco”

 

Resumo do artigo:

“Introdução às Técnicas Expandidas de Violino - Técnicas de Arco”

 O presente artigo apresenta uma introdução às técnicas expandidas de violino com enfoque nas técnicas de arco, parte essencial do “Manual de Técnicas Expandidas de Violino”, meu projeto de Mestrado Profissional em Ensino das Práticas Musicais na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, em andamento. As principais técnicas de arco utilizadas em repertório brasileiro para violino solo e de música de câmara dos séculos XX e XXI são abordadas de maneira descritiva com exemplos musicais variados. Esta é uma parte primordial de minha pesquisa, considerando que a técnica de mão direita, com ou sem utilização do arco é a principal produtora da energia sonora no violino e a maior responsável pela gama de sons, timbres, efeitos e ruídos presentes na música de hoje. Algumas das técnicas abordadas foram mencionadas em tempos mais remotos, mas isoladamente, não poderíamos defini-las como uma técnica convencional incorporada por violinistas e compositores em sua prática musical e pedagógica. Este trabalho está dividido em dois capítulos: no primeiro, abordaremos sucintamente a história do arco, sua evolução, sua estrutura física e seu funcionamento como produtor de som na técnica tradicional. O segundo capítulo aborda as principais técnicas expandidas de arco utilizadas na atualidade, com exemplos musicais selecionados em repertório de importantes compositores atuantes no país e no exterior.

 

Palavras-chave: violino, técnicas de arco, técnicas expandidas, pontos de contato, música contemporânea, música brasileira.

 

Resumo do produto:

“Manual de Técnicas Expandidas de Violino”

Denominamos “técnicas expandidas” os recursos técnicos instrumentais não tradicionais e não convencionais para a produção de novas sonoridades, timbres e efeitos para a performance de obras musicais contemporâneas. A busca por novas linguagens, formas de expressão, paisagens sonoras e os experimentos estéticos iniciados no século XX expandiram não somente o universo sonoro, mas também a maneira ou maneiras de se tocar o instrumento, gerando novos desafios técnicos que até os dias de hoje estão em constante evolução. O instrumentista/intérprete tem a necessidade de acompanhar esta evolução, mas a questão é complexa. No Brasil há uma grande carência de referências técnicas e bibliográficas sobre o tema, pouco abordado em aulas de instrumento. O presente projeto de mestrado profissional busca elaborar um “Manual de Técnicas Expandidas para Violino”, gerando uma referência e uma ferramenta que auxilie violinistas de nível médio e avançado na prática da música contemporânea. O Manual também busca oferecer a jovens compositores material em português para o conhecimento dos recursos sonoros do violino e as respectivas técnicas necessárias para sua produção.

 

Palavras Chave: Violino, técnicas expandidas, música brasileira, música contemporânea.

 

Ivan Scheinvar Tavares (APRESENTAÇÃO DO ARTIGO)

Orientador: Paulo Bosísio

 

Título do Colóquio: Análise da introdução ao estudo das cordas duplas no violino e do material existente para o aprendizado desta técnica.

 

Resumo do artigo:

Cordas Duplas e seus Desafios: análise da introdução ao estudo desta técnica a partir dos conceitos de "Fôrma" e "Inversão da Fôrma"

Este artigo apresenta o conceito de “Fôrma” da mão esquerda, proposto por Ivan Galamian, e de “Inversão da Fôrma”, proposto por Paulo Bosisio, dissertando sobre suas implicações no toque das cordas duplas ao violino. Em seguida, é realizada uma análise de alguns métodos de destaque para o estudo desta técnica, para, ao final, sugerir uma proposta de ensino da mesma.

Palavras-chave: Violino; Cordas duplas; Fôrma da mão; Ivan Galamian; Paulo Bosisio; Ensino do Violino.

 

Resumo do produto:

Método de Iniciação às Cordas Duplas no Violino e na Viola

O método busca suprir a carência de material adequado para o início do estudo desta técnica. Ainda hoje é utilizada uma literatura muito antiga, majoritariamente composta há mais de cem anos e na Europa, que não condiz com a nossa realidade atual. Este livro aborda desde o mais básico para o aprendizado das cordas duplas até a utilização de todos os intervalos nas três primeiras posições do instrumento, tudo isso de maneira calma, com muita quantidade de exercícios e peças não muito grandes, sem comprometer a saúde física e metal do estudante.

Palavras-chave: Violino; Cordas duplas; Ensino do Violino; Método.

 

Thiago Josis Vieira Ramos (APRESENTAÇÃO DO ARTIGO)

Orientador: Dr. Rodolfo Cardoso de Oliveira

 

Título do colóquio: O Congo Capixaba: ritmo de tradição oral adaptado à bateria

 

Resumo do artigo:

O Congo Capixaba: ritmo de tradição oral adaptado à bateria

O artigo em questão demonstra a aplicação de um dos principais símbolos culturais do Estado do Espírito Santo na bateria, o Congo Capixaba. Ritmo de tradição oral, executado por grupos de pessoas com instrumentação típica, está presente em diversas regiões do Estado. Através da inserção e da adaptação de instrumentos de percussão característicos das Bandas de Congo do Espírito Santo à bateria, bem como, a utilização de técnicas tradicionais e estendidas, apresentar-se-á, a partir da linguagem rítmica e idiomática dessa manifestação cultural, exercícios técnicos progressivos de coordenação motora e independ eia﷽﷽﷽﷽﷽﷽, contribuindo para o mo os resultados destes, foram testados em duas oficinas ministradas ência, afim de executar a rítmica do Congo Capixaba na bateria, contribuindo assim para o aumento do repertório para este instrumento. Os exercícios técnicos progressivos inspirados nas linhas rítmicas do Congo Capixaba, bem como suas adaptações, foram testados em oficinas ministradas em duas instituições de ensino, proporcionando ao aluno uma aproximação entre a técnica e a cultura, a tradição e a inovação.

 

Resumo do produto:

O Congo Capixaba: ritmo de tradição oral adaptado à bateria

O produto em questão consiste em um método para bateria abordado dentro da linguagem idiomática do Congo capixaba. Diante de material coletado, por meio de pesquisa etnográfica, buscas na internet, bibliotecas e acervos particulares, serão propostos exercícios técnicos progressivos contextualizados com o gênero em questão, que capacitem o leitor/ músico/ baterista a tocar o Congo na bateria, ritmo que originalmente é executado com variada instrumentação. Os exercícios técnicos, abordados visam o aprimoramento da coordenação motora e a independência entre os membros do baterista. Com isso, busca-se estimular a criatividade e musicalidade do músico e capacitá-lo a tocar o Congo Capixaba e consequentemente os demais ritmos brasileiros.

 

André Ricardo Amaral (APRESENTAÇÃO DO PRODUTO)

Orientador: Ermelinda Paz

 

Título do Colóquio:  Proposta de educação musical utilizando a flauta doce e o canto - material didático composto por gêneros musicais.

 

Resumo do artigo:

Uma proposta de educação musical coletiva utilizando a flauta doce

Este artigo relata uma experiência de prática pedagógica voltada para a educação musical coletiva, realizada na Escola Municipal Gastão Penalva em 2016, durante as aulas de música. As atividades sugeridas foram inspiradas no modelo C(L)A(S)P e na Teoria Espiral de Desenvolvimento Musical e contaram com a participação de 21 alunos do ensino fundamental II de 12 a 14 anos de idade. O projeto teve como objetivo desenvolver a musicalidade dos alunos usando a flauta doce e abordando diversos gêneros musicais, principalmente os mais próximos de seu ambiente social, de modo a ampliar sua bagagem cultural. A partir do trabalho realizado, verificou-se a aquisição de uma gama de possibilidades de conhecimentos musicais e culturais que se deu por meio do ensino da flauta doce e do repertório abordado em conjunto com as atividades de apreciação, composição e execução dos diferentes gêneros.

 

Resumo do produto:

Aquarela de Gêneros musicais

Este livro tem fins pedagógicos e apresenta canções (que são composições próprias do autor) baseadas em diversos gêneros musicais, na sua maioria brasileiros, arranjadas para piano, flauta doce soprano (adaptável para qualquer outro instrumento solista), voz, xilofone, acordeão, alguns instrumentos de percussão simples e percussão corporal (palmas, batida do pé no chão, palmada na coxa, estalo dos dedos entre outros). A proposta de utilização do material didático está inspirada em procedimentos pedagógicos de Villa-Lobos (como o manossolfa), Gazzi de Sá (canto pelos graus da escala) e Orff (com a utilização do corpo como percussão). Além disso, há o objetivo de acrescentar elementos expressivos na formação musical dos alunos.

A metodologia que nos inspirou para a elaboração deste material didático foi o modelo C(L)A(S)P (SWANWICK, 1979) e a Teoria Espiral de Desenvolvimento Musical (SWANWICK, 1994 e 1988; TILMAN, 1986), no qual o progresso do aluno é alcançado principalmente por atividades de composição, apreciação musical e execução, permeados por literatura e técnica como atividades periféricas.

Integra o volume um CD de áudio que possui três faixas para cada canção, todas contendo as linhas de piano e percussão: uma simples, para o aluno tocar a flauta ou cantar (playback), outra com a flauta doce e a terceira base com a voz como referência para o aprendizado da canção.

O livro do aluno contém o CD, algumas orientações para utilização do material, a contextualização dos gêneros e a partitura da flauta. O livro do professor contém o CD, algumas orientações pedagógicas, a contextualização dos gêneros e a partitura completa (da flauta; da percussão; e do acompanhamento do piano, com sugestões de outros instrumentos como o xilofone e o acordeão).

 

Charles William Vieira Vianna (APRESENTAÇÃO DO PRODUTO)

Orientador: Dr. Eduardo Lackschevitz

 

Título do Colóquio: Minha Escola de Música: construindo caminhos para uma gestão inovadora nas escolas vocacionais de música brasileiras.

 

Resumo do Artigo:

Comunicação de resultados obtidos na construção do “Minha Escola de Música”

O artigo visa criar um espaço de comunicação dos resultados obtidos no processo de construção do produto “Minha Escola de Música”, que está sendo criado no Programa Mestrado Profissional da UNIRIO (PROEMUS). Este produto busca a criação de treinamentos on-line, hospedados em um website, para gestores de escolas vocacionais de música com cinco conteúdos obtidos durante a pesquisa de abordagem tipo Survey (fidelização de alunos, atendimento ao público, gestão educacional, cancelamento de matrículas e capitação de novos alunos). A pesquisa de abordagem quantitativa visa gerar dados para uma análise estatística confiável.

A metodologia escolhida para a estruturação da construção do produto, bem como a comunicação dos resultados é o Design Science Research (DSR). O DRS propõe uma aproximação entre a teoria e a prática com o intuito de garantir melhorias ou auxiliar na construção de produtos e serviços.

 

Resumo do Produto:

Minha Escola de Música: propostas para uma gestão eficiente nas escolas vocacionais de música brasileiras

O produto intitulado “Minha Escola de Música”, visa a criação de treinamentos on-line para gestores de escolas vocacionais de música com conteúdo que auxilie os gestores nas demandas de suas escolas. O produto surgiu a partir da minha experiência como gestor de escola de música e em conversa com outros gestores, a partir desta, foram realizadas diversas pesquisas, entrevistas e questionários para compreender o mercado e chegar a demanda específica do público-alvo. A pesquisa foi conduzida pela abordagem quantitativa tipo Survey que apresentou as cinco principais demandas das escolas vocacionais de música, entre elas: fidelização de alunos, atendimento ao público, gestão educacional, cancelamento de matrículas e capitação de novos alunos.

A metodologia escolhida para essa pesquisa será o Design Science Research (DSR) que propõe uma aproximação entre a teoria e a prática com o intuito de garantir melhorias ou auxiliar na construção de produtos e serviços.

 

 

Fábio Pestana Calazans (APRESENTAÇÃO DO ARTIGO)

Orientador: Clayton Daunis Vetromilla

 

Título do Colóquio: “O Acompanhamento Harmônico feito pela Guitarra e sua Relação com os Métodos de Ensino do Instrumento”.

 

Resumo do produto:

10 videoaulas sobre O USO DAS TRÍADES NA GUITARRA.

Nossa proposta é oferecer aos guitarristas as ferramentas para que possam criar acompanhamentos livres de padrões. Esperamos que o músico desenvolva um pensamento crítico de construção e desconstrução, criando a autonomia necessária para uma execução harmônica eficiente e singular. O uso consciente da harmonia e de suas possibilidades de enriquecimento dos acompanhamentos harmônicos, é o nosso objetivo.

Nos vídeos, usamos uma abordagem diferenciada do uso das tríades em acompanhamentos harmônicos na guitarra, mostrando as particularidades de cada item. Desde a execução das tríades com somente três sons, passando pela movimentação das mesmas através de mudança de posição, tríades com quatro sons, inversão, uso de arpejo e das notas da escala. Também tratamos do uso da mão direita, cifragem e função harmônica.

O público alvo são os músicos que tocam acompanhamentos no violão ou guitarra por cifras, porém, querem se aprofundar nas possibilidades de uso dos acordes.

 

Resumo do Artigo:

O Acompanhamento Harmônico feito pela Guitarra e sua Relação com os Métodos de Ensino do Instrumento

Este artigo apresenta uma análise de métodos de ensino da guitarra, que orientaram o livro Acordes na Guitarra, suas Escalas e Encadeamentos, no qual apresentamos as bases para a execução de acompanhamentos harmônicos. Buscamos esclarecer os conceitos necessários para uma evolução gradativa, consciente e criativa desse fundamento essencial para os guitarristas. 

 

Sarah Cristina Costa Pereira (APRESENTAÇÃO DO ARTIGO/PRODUTO)

Orientadora: Luciana Requião

 

Título do Colóquio: MÚSICA E AUTISMO – USO DE SOFTWARE PARA A EDUCAÇÃO MUSICAL DE AUTISTAS.

 

Resumo Artigo:

MÚSICA E AUTISMO – USO DE SOFTWARE PARA A EDUCAÇÃO MUSICAL DE AUTISTAS.

O presente artigo trata do desenvolvimento da pesquisa em andamento, realizada no Programa de Mestrado Profissional em Ensino das Práticas Musicais (PROEMUS) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), que dará origem a um site de educação musical adaptado para crianças com autismo, conforme as regulamentações desenvolvidas pelo Protocolo GAIA. A pesquisa surge da necessidade de se desenvolver mecanismos de apoio ao ensino de música a alunos diagnosticados com Transtorno do Espectro Autista no curso de musicalização Infantil do Centro Cultura Musical de Campos dos Goytacazes, RJ. Os alunos autistas inseridos no curso atualmente representam dez por cento do grupo de alunos. Parte-se da hipótese de que o processo de aprendizagem musical é possível a todos, sendo necessário criar oportunidades de ensino diferenciadas que viabilizem o processo de forma qualitativa e significativa aos alunos

Palavras-chaves: Educação Musical; Autismo; Diversidade; Inclusão; Tecnologia.

 

Resumo do Produto:

MÚSICA E AUTISMO – USO DE SOFTWARE PARA A EDUCAÇÃO MUSICAL DE AUTISTAS.

O software vem sendo desenvolvido, utilizando-se da interface Jogos educacionais com conteúdo musical.  O site será apresentado por um mascote, aos usuários e toda sua apresentação conterá ícones grandes e claros quanto ao seu funcionamento. Os exercícios propostos pelo software trabalham discriminação e reconhecimento de estruturas, sendo estes apenas um momento de passagem no processo de ensino – aprendizagem musical. O software visa algo maior que é a fundamentação de elementos sonoros, para desenvolvimento musical como todo, por isso o uso deste, deve acontecer de forma paralela a presença nas aulas de música. Quando falamos da criação de um material tecnológico de auxílio a crianças diagnosticadas com TEA, pensa-se em potencializar a atenção focada em assuntos específicos por ser considerada por profissionais de diferentes áreas como mecanismo eficiente ao ensino de pessoas com autismo.

 

Jayaram Marcio Costa Custódio (APRESENTAÇÃO DO ARTIGO)

Orientador: Nicolas de Souza Barros

 

Título do Colóquio:  "Cotextualização e análise de três métodos para a iniciação ao estudo do violoncelo: o Méthode pratique pour le violoncelle Op. 30, de Sebastian Lee. O Suzuki Cello School, volumes 1 e 2, de Shinichi Suzuki. E o Fundamentals of Violoncello Technique de Fancis Grant."

 

 Resumo do artigo:

 "Cotextualização e análise de três métodos para a iniciação ao estudo do violoncelo: o Méthode pratique pour le violoncelle Op. 30, de Sebastian Lee. O Suzuki Cello School, volumes 1 e 2, de Shinichi Suzuki. E o Fundamentals of Violoncello Technique de Fancis Grant."

Neste artigo, será realizada uma breve contextualização e análise comparativa de três métodos escritos para violoncelo. Após uma analise sobre a escolha dos métodos e, uma breve contextualização, será feita uma análise técnica focada em aspectos da iniciação instrumental e o desenvolvimento da prática de mudanças de posição,expondo as decisões, abordagens e particularidades de cada pedagogo.

 

Palavras-chave:Violoncelo; Cello; Método de violoncelo; Iniciação; Mudanças de posição; 

 

Resumo do produto:

Caderno de choros para violoncelo. Adaptação, arranjos e exercícios preparatórios (Título em desenvolvimento).

Dentro da estrutura básica de ensino e estudo do violoncelo e dos instrumentos de cordas friccionadas (Técnica pura - Método - Peças), o produto em questão entra no âmbito peças. Não existe até então um trabalho parecido com o gênero musical brasileiro Choro. Sendo assim ele oferece uma nova opção de músicas para estudantes e profissionais. O produto contempla também essembles de violoncelos, já que os temas são arranjados para grupos.  

Os temas serão organizados por níveis de dificuldade, com a intenção de contemplar alunos iniciantes e avançados. Os exercícios preparatórios intentam facilitar a execução de ritmos e técnicas que não são "convencionais" e usuais na técnica praticada e ensinada para a maioria dos violoncelistas.

 

Felipe César Ferreira Moreira (APRESENTAÇÃO DO ARTIGO/PRODUTO)

Orientador: Cliff Korman

 

Título do Colóquio: TRÍADES E TÉTRADES: CAMINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA HARMONIA NO PIANO POPULAR - Teoria e prática

 

Resumo do artigo:

TRÍADES NA MÚSICA POPULAR SOBRE A ÓTICA DE ALMIR CHEDIAK, CARLOS ALMADA E IAN GUEST

O presente artigo compara três publicações didáticas sobre harmonia na música popular brasileira que abordam o assunto tríades: Harmonia & Improvisação I, de Almir Chediak, Harmonia Funcional, de Carlos Almada Harmonia – Método Prático 1, de Ian Guest. Os objetivos foram: a) mostrar as diferenças e similaridades nas abordagens de cada livro; b) analisar seus pontos positivos e negativos e c) contribuir com ideias e reflexões que possam auxiliar na elaboração de futuros materiais pedagógicos enfocando o ensino da harmonia na música popular brasileira. Na primeira parte do artigo, é feita uma breve contextualização dos autores e seus respectivos livros no mercado editorial de música brasileiro. Na sequência, será elaborado um perfil biográfico de cada um dos três autores supracitados, junto a um panorama conciso de seus livros aqui analisados. Na terceira parte, será feita uma breve análise comparativa das abordagens do tópico tríades por cada publicação, seguida por uma pequena conclusão. Este trabalho foi desenvolvido no PROEMUS – Programa de Mestrado Profissional em Ensino das Práticas Musicais, na UNIRIO.

Palavras-chave: Música Popular Brasileira, Harmonia, Educação Musical

 

Resumo do produto:

TRÍADES E TÉTRADES: CAMINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA HARMONIA NO PIANO POPULAR - Teoria e prática

Esse trabalho tem como objetivo a elaboração de um método de música popular no formato digital utilizando tríades e tétrades como base para a construção de conteúdos, sistematizando o estudo e desenvolvimento de harmonizações ao piano através de músicas do cancioneiro brasileiro, exercícios práticos e de percepção, embasados em conceitos teóricos.

Palavras-chave: Música Brasileira Piano Popular Harmonia Prática Musical

 

Luis Mauricio de Souza Carneiro (APRESENTAÇÃO DO PRODUTO)

Orientadora: Mariana Isdebsky Salles

 

Título do Colóquio: ACADEMIA ORQUESTRAL: O perfil dos maestros e professores em projetos sociais brasileiros

 

Resumo do Artigo:

O maestro para a Juventude: O perfil dos maestros e professores de instrumentos em projetos sociais brasileiros.

O presente artigo é parte do projeto de mestrado profissional em Ensino das Práticas Musicais através do PROEMUS/UniRio em andamento e relata o processo de pesquisa, objetivando investigar a atuação dos maestros e professores de ensino coletivo de instrumentos musicais através dos projetos sociais-musicais brasileiros, levantando suas principais características quanto a estrutura dos trabalhos, estratégias de ensino e ensaios, metodologias utilizadas e produção artística.  A estrutura da pesquisa é tripartida, sendo a primeira parte um levantamento bibliográfico relacionado aos trabalhos já escritos envolvendo os temas sociais e educacionais, a segunda parte conta com uma entrevista qualitativa estruturada direcionada aos personagens acima mencionados, contendo questões acerca da atuação nos âmbitos pedagógicos e artísticos e a terceira parte, relata um estudo de caso realizado na Orquestra Sinfônica Maestro David Machado, agrupamento pertencente à ONG Orquestrando a Vida, na cidade de Campos dos Goytacazes – RJ, no qual durante o período de Abril/2017 a Abril/2018 foram direcionadas as atividades diárias ao levantamento dos resultados obtidos através de treinamento específico para elaboração de produto relacionado a esta pesquisa.

 

Resumo do Produto:

Academia Orquestral

O formato escolhido para a apresentação final do produto será uma plataforma de treinamento online, direcionada a maestros e professores de instrumentos através de ensino coletivo atuantes nos projetos sócio-musicais.  A estrutura do site se dividirá em vídeo-aulas e textos, com exemplificações práticas e embasamento teórico inspirados na Metodologia da Educação do Talento e no Sistema de Orquestras Infantis e Juvenis da Venezuela – El Sistema.  A abordagem principal esta associada aos processos de treinamento de uma performance artística para orquestras infantis e juvenis, demonstrando estratégias e trazendo embasamento relacionados ao idioma dos instrumentos de arcos, uma vez que o foco principal deste trabalho está direcionado a esses instrumentos.  As vídeo-aulas contarão com a participação de uma orquestra “in loco”.

 

 

Raquel Pereira Motta da Paixão (APRESENTAÇÃO DO PRODUTO/ARTIGO)

Orientador: Lúcia Barrenechea

 

Título Colóquio: Música Brasileira Para Estudantes De Piano E Suas Aplicações Pedagógicas.

 

Resumo do artigo:

Música Brasileira Para Estudantes De Piano E Suas Aplicações Pedagógicas.

    O artigo tem o objetivo de descrever os caminhos que levaram a criação, desenvolvimento e organização do produto. Nele há apresentação dos compositores, das peças e análise técnico-pedagógicas de cada música apresentada na coletânea. Também há uma sugestão de aplicação pedagógica progressiva das peças, essa organização progressiva segue as orientações sobre repertório de níveis elementar e intermediário do livro The Well-Tempered Keyboard Teacher de Mariene Uszler, Stewart Gordon e Elyse Mach, 1991. 

 

Resumo do produto: 

Título do produto: (Ainda não definido, será apresentado ao público após defesa do produto)

   O produto consiste em uma coletânea de peças para piano, inéditas, compostas por mim e por compositores colaboradores destinadas a estudantes de piano em níveis elementar e intermediário. 

Tem foco no público infantil, público que eu, enquanto idealizadora e organizadora da coletânea, mas me dedico enquanto professora de piano. A concepção artística desta publicação envolve música e imagem. O livro é ilustrado pela artista plástica Ligia Rocha.

Tem o objetivo de colaborar com o ensino do piano no Brasil possibilitando que alunos e professores tenham acesso a uma diversidade maior de repertório nacional para alunos nesses níveis.

 

Clarice Fernandes Magalhães (APRESENTAÇÃO DO ARTIGO)

Orientador: Rodolfo Cardoso de Oliveira

 

Título do Colóquio: "A vocação pedagógica do pandeiro brasileiro"

 

Resumo do produto:

"A vocação pedagógica do pandeiro brasileiro"

Vamos Tocar Pandeiro! é o nome do material didático em desenvolvimento no PROEMUS voltado para o ensino-aprendizagem de um dos instrumentos de percussão mais populares do Brasil, o pandeiro. O livro associado a vídeos baseia-se na técnica de execução utilizada no gênero Choro, nas inovações introduzidas pelo percussionista Marcos Suzano nesta técnica e na vivência da autora com o instrumento. O projeto chama a atenção para a versatilidade e a vocação pedagógica do pandeiro brasileiro, podendo ser usado tanto por leigos quanto por professores de música como eficiente ferramenta no ensino de ritmos.   

 

Resumo do artigo:

"A vocação pedagógica do pandeiro brasileiro"

De acompanhador em formações regionais brasileiras, o pandeiro brasileiro entrou no século XXI chamando atenção para sua versatilidade. Sua técnica de execução utilizada no gênero choro foi inovada a partir dos anos 1980 tendo como protagonista o percussionista Marcos Suzano. Neste artigo parto da minha experiência pessoal com o aprendizado, a performance e o ensino do pandeiro de couro, ou de choro, aqui denominado apenas pandeiro brasileiro, para para analisar alguns aspectos que fazem dele uma ótima opção para leigos ou professores de música como instrumento facilitador da compreensão da perspectiva rítmica da música. Como pilares da argumentação da ideia desta vocação pedagógica do pandeiro brasileiro, utilizo aspectos oriundos tanto de sua organologia quanto de sua técnica de execução no gênero choro e no pandeiro moderno de Marcos Suzano.

 

Welsten Wesklei da Cunha Leopoldino (APRESENTAÇÃO DO PRODUTO/ARTIGO)

Orientador: Marco Túlio

Título do Colóquio: O SAXOFONE ORQUESTRAL BRASILEIRO

 

Resumo do artigo

O Saxofone Orquestral Brasileiro: Trechos Orquestrais para Saxofone

O artigo tem como objetivo apresentar parte de uma pesquisa desenvolvida no PROEMUS - UNIRIO, investigação que nos levou a criação do produto O SAXOFONE ORQUESTRAL BRASILEIRO: TRECHOS ORQUESTRAIS PARA SAXOFONE. Inicialmente realizamos um levantamento bibliográfico em confluência com toda pesquisa no que se refere-se a trechos orquestrais, com investigações em editais de universidade, livros, métodos, entrevistas, trabalhos acadêmicos que apresentam trechos orquestrais, videoaulas, sites especializados, áudio, arquivo de orquestras, bibliotecas e diálogo com  maestro, músicos e compositores. O projeto têm como peça chave o levantamento sobre os compositores brasileiros que adotam o saxofone no repertório orquestral.

Palavras-Chave: Saxofone – Repertório Sinfônico brasileiro - Compositores brasileiros

 

Resumo do produto

O Saxofone Orquestral Brasileiro: Trechos Orquestrais para Saxofone

O produto, tem na sua proposta pesquisar, catalogar e disponibilizar através de um formato virtual as literaturas orquestrais para saxofone, com intuito de alcançar um público ainda maior através do virtual. Visto todos recursos financeiros, a publicação de um e-book(livro eletrônico) se comparado a publicação física do mesmo é tanto inferior, além de ser disponibilizado de forma fácil e acessível para todos. O e-book também conta com código QR, que é um código de barras bidimensional que pode ser facilmente escaneado utilizando a maioria dos telefones celulares equipados com câmara, direcionando o leitor para o canal do youtube, na qual teremos  vídeoaulas com o trechos orquestrais brasileiro mais representativos. As demais redes sociais instagram facebook, serão de grande importância para manter uma relação maior com o público que busca informações sobre o saxofone orquestral brasileiro, além postagens relacionadas ao saxofone.

 

Marcos Bueno de Godoy (APRESENTAÇÃO DO PRODUTO)

Orientador: Cliff Korman

 

Título do Colóquio: "IMPROVISAÇÃO:UMA PROPOSTA METODOLÓGICA ATRAVÉS DA ANÁLISE DE ASPECTOS ESTRUTURAIS E IDIOMÁTICOS NA CONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO DISCURSO MELÓDICO"

 

Resumo do artigo:

A IDIOMATICA NO FREVO: ELEMENTOS QUE REVELAM UM GENERO

O frevo de rua teve uma importante contribuição a partir do início da década de 50 com o surgimento da guitarra baiana inserindo peculiaridades e diversificando o gênero musical. A partir deste dado este artigo busca explanar dois aspectos: A importância do idioma em um gênero musical no caso o frevo, através da análise dos elementos responsáveis pela sua estruturação e a contribuição da guitarra baiana na inserção de peculiaridades do instrumento para frevo de rua. Serão escolhidos alguns trechos emblemáticos de frevos para identificação de características recorrentes assim como amostras de especificações do instrumento. Neste processo será utilizado como base metodológica a tese do professor Doutor Almir Côrtes Barreto “Improvisando em Música Popular”, um estudo sobre o choro, o frevo e o Baião e sua

relação com a “música instrumental” brasileira.

 

Resumo do produto:

“Tudo o que você precisa saber para melhorar sua Improvisação:  Analisando e desenvolvendo um discurso melódico”

A improvisação é um assunto que tem cativado músicos de diversas faixas etárias e segmentos na música como instrumentistas, cantores, produtores, professores e por conta disso se tornou uma disciplina complementar importante à formação do músico.   Neste sentido, este trabalho tem como produto final um material didático composto por um livro com textos, exemplos e exercícios que tratam do assunto improvisação explanando o processo de iniciação e desenvolvimento de solos e promovendo a conscientização dos elementos que compõem o conteúdo em três esferas:

  • Teórico (escalas, modos , arpejos , notas de tensão, frases) 

 

  • Embelezamento melódico e Expressividade (ornamentos e

Inflexões especificas para instrumentos de cordas como slaps e bends)

 

  • Idiomatismo de um gênero musical (acentuação, células rítmicas, etc.)

 

direcionado a particularidades técnicas e idiomáticas no violão e na guitarra.

Com isso este material será dividido em três capítulos com suas devidas subdivisões organizadas da seguinte forma:

Capítulo 1 – Caminhos da improvisação, uma breve contextualização

Improvisação e diferentes abordagens

þ  A improvisação em culturas diversas

þ  Improvisação e imaginação criativa (De Miles Davis a Frank Zappa e Edgard Varèse)

þ  Improvisação livre e idiomática

Capítulo 2 – Dois parâmetros adotados

2.1 – Análise dos conteúdos

 

2.1.1 – Arpejo, modos e escalas 

þ  Relação melodia/harmonia (notas do arpejo e tensões)

þ  Sobreposição de pentatônicas

þ  Sobreposição de arpejos

ü  Tríades

ü  Pares de tríades

ü  Tétrades

 

2.1.2 – Ornamentação – Conceitos e exemplos

þ  Notas de passagem

þ  Apojaturas

þ  Aproximação não preparada

þ  Bordadura ou Mordente

þ  Escapada e escapada por salto

þ  Aproximação cromática

þ  Resolução indireta

þ  Grupetto

þ  Antecipação

þ  Retardo

þ  Duplo cromático

þ  Trinado

 

2.1.3 – Inflexões específicas para instrumentos de cordas – Conceitos e exemplos

þ  Bend e suas variações

þ  Glissando

þ  Ligados (Pull-off)

þ  Martelado (Hammer-on)

þ  Double stops  (Intervalos)

2.1.4 – Identificação dos elementos 

þ  O Clichê e sua composição

ü  Clichê diatônico

ü  Clichê com aproximações cromáticas

ü  Clichê impar em compasso par

ü  Clichê par em compasso impar

 

þ  Padrões melódicos

ü  Por intervalos

ü  Por grupo de notas

 

þ  A Frase melódica – Conceito e exemplos

þ  Ideia melódica diatônica

þ  Ideia melódica construída com elementos abordados nos tens 2.1.2 e 2.1.3

 

2.2 Idiomatismo – Conceito e caracterização de um gênero

2.2.1 Improvisação livre e improvisação idiomática

2.2.2 Elementos característicos de um gênero no improviso idiomático

þ  O ritmo em construção

þ  O papel da acentuação na concepção de um ritmo

þ  A acentuação na melodia

þ  Elementos recorrentes em um gênero

Capítulo 3 – O fazer musical – Exercícios teóricos e práticos

Sugestões de exercícios:

  1. Teóricos – exercícios de compreensão (com exemplos)
  2. Práticos – exercícios de experimentação e fixação (com exemplos)
  3. Apreciação e transcrição – Exercícios de apropriação da prática da construção

Por fim este material terá como anexo a reapresentação em vídeo de todos os seus exemplos escritos no livro situados em um canal específico (youtube ou site próprio) para melhor compreensão. Também contará com entrevistas de seis professores/músicos convidados contemplando suas experiências e percepções acerca do assunto improvisação.

 

 

 

Menu

Sobre

COLÓQUIO 2018

Seleção 2019

Institucional

     Matriz Curricular

     Documentos

     Calendários

Docentes

Projetos

     Turma de 2014

     Turma de 2015

     Turma de 2016

     Turma de 2017

Contatos

Links